Como escolher o melhor repelente para crianças?

Confira todas as informações sobre repelentes infantis e saiba como escolher o melhor para seu filho.
Além de ser muito ruim ver os pequenos sofrendo com mordidas de mosquito inflamadas, esses insetos ainda podem transmitir diversas doenças, como zika vírus, febre-amarela e dengue, transformando uma simples picada em um motivo de muita preocupação.No entanto, felizmente, esse tipo de problema pode ser evitado com o uso de um dos produtos de higiene pessoal que é próprio para combater esses insetos: o repelente infantil.Todos os pais que prezam pela saúde de seus filhos devem investir nesse cuidado, porém, escolher o melhor repelente infantil nem sempre é uma tarefa fácil.

Pensando nisso, reunimos informações importantes para tirar todas as suas dúvidas sobre esse produto e ajudar você a escolher a melhor opção de repelente para seu filho. Confira!

A partir de que idade as crianças podem usar os repelentes?

A partir dos 6 meses. Bebês abaixo dessa faixa etária não devem usar repelentes, o mais indicado são as medidas de proteções físicas, como a tela mosquiteira para berço e carrinho de bebê. Em caso de dúvidas, consulte sempre seu pediatra de confiança.

O que deve ser considerado na hora de escolher o repelente ideal para as crianças?

Escolher um repelente para criança requer alguns cuidados específicos, como se atentar ao princípio ativo do produto (DEET, Icaridina ou IR 3535) e sua concentração.

Esses detalhes são extremamente importantes, visto que crianças com idade entre 6 meses e 2 anos só podem usar repelentes à base de IR 3535. Já para crianças com mais de 2 anos, os princípios ativos Icaridina (com concentração máxima de 25%) e DETT (com 10%) são os mais indicados.

Como saber se os produtos não vão fazer mal à criança?

Antes de serem postos à venda, os repelentes passam por diversos testes para demonstrarem a eficácia e a segurança que estão expostas no rótulo do produto. Dessa maneira, basta seguir as instruções de uso conforme a faixa etária da criança para que não haja nenhum prejuízo à saúde do seu pequeno.

No entanto, vale ressaltar que, em casos atípicos, podem ocorrer reações alérgicas (placas vermelhas e coceiras), visto que a sensibilidade do organismo de cada criança é diferente e imprevisível.

A boa notícia é que, caso essas reações ocorram, são facilmente tratáveis e cessam ao passo que a criança deixa de usar o produto.

Qual a melhor maneira de usar o produto e garantir sua máxima eficácia?

Confira algumas dicas importantes para usar os repelentes corretamente e garantir a eficácia e proteção máxima do produto:

  • Leia atentamente todas as instruções que estão no rótulo do repelente;
  • Use uma quantidade suficiente para a cobrir a pele da criança e evite novas aplicações com muita frequência;
  • Quando a criança for dormir, só aplique o produto nas partes expostas do corpo do pequeno;
  • A ação do repelente é limitada somente a área que o produto foi aplicado, portanto, não economize;
  • Tenha atenção durante a aplicação do repelente para que o produto não entre em contato com os olhos, as narinas e a boca da criança;
  • Não aplique o produto sobre a pele irritada ou com algum tipo de lesão;
  • Tenha em mente que o repelente é o último produto que deve ser aplicado na pele do pequeno. Se houver necessidade de usar algum outro, aguarde cerca de 20 minutos após a aplicação antes de passar o repelente;
  • Se suspeitar de qualquer reação adversa, lave a área exposta imediatamente com água e sabão e, se houver necessidade, procure serviços médicos portando a embalagem do produto.
Como escolher o melhor repelente para crianças