Quarto de bebê o que não pode faltar

Quarto de bebê: o que não pode faltar?

Para pais de primeira viagem, montar e decorar o quarto de bebê pode ser um desafio. Além de pensar em detalhes que possam tornar o ambiente mais aconchegante, alguns aspectos como segurança e conforto não podem passar despercebidos.

                   
Nesse caso, a dica é priorizar móveis essenciais, evitando poluir o quarto com excesso de informação. Entretanto, até mesmo definir a utilidade dos produtos é difícil. Alguns objetos, como o berço, saltam aos olhos nesse quesito, por ser o local onde o bebê irá descansar e passar grande parte de seu dia.

Mas, para além do item, há diversos produtos que não podem faltar na hora de planejar o cômodo, como: poltrona de amamentação, trocador, armário e cortinas.

Berço

O berço é um dos elementos mais importantes do quarto e pode ser a peça central para toda a decoração. Assim, segurança, conforto e praticidade são características essenciais na hora da escolha do item.

É indicado dar preferências para berços três em um, que podem alterar seu tamanho conforme o bebê vai crescendo. O produto representa um custo-benefício considerável e pode permanecer na família por mais tempo, acompanhando a criança até cerca de cinco anos.

Outra dica é investir em colchões mais firmes, que também tenham a capacidade de se ajustar ao tamanho do móvel. O objetivo é permitir que o bebê durma em uma superfície plana, diminuindo o risco de engasgos. Por fim, um protetor de colchão faz a diferença na hora de limpar o móvel, caso a fralda vaze.

Poltrona de amamentação

A decoração do quarto deve focar na segurança do bebê, sem ignorar o conforto dos pais. Ambos irão passar bastante tempo no cômodo, principalmente as mães que irão amamentar, portanto, todo cuidado é válido na hora de evitar dores musculares e facilitar a circulação pelo ambiente.

Nesse caso, a poltrona de amamentação demanda ainda mais atenção. A proposta do móvel é facilitar ao máximo a atividade frequente na rotina do bebê, exigindo menos esforço da mulher.

Optar por cadeiras maiores, confortáveis, que se moldam ao corpo e contam com braços acolchoados é uma maneira de evitar dores no pescoço, nas costas e até mesmo permitir que a mãe se canse menos durante a amamentação.

                         É preciso pensar no conforto e na segurança dos pais e do bebê (Foto: Nappy Stock)

Trocador

Para além de amamentar o bebê, a troca de fraldas e de roupas após o banho também faz parte da rotina dos pais. Para isso, o trocador é outro objeto que não pode faltar no quarto. Mais do que cumprir a função de suporte do bebê para realizar as trocas, muitos acompanham armários que podem ser utilizados para armazenamento de produtos e brinquedos.

Uma dica para escolher o móvel ideal é levar em conta a altura dos pais, a fim de optar pelo item com tamanho ideal para que nenhum dos dois precise se inclinar para trocar a fralda ou a roupa. Isso pode fazer a diferença a longo prazo, evitando dores e problemas na coluna.

Além disso, lixeiras e cestos de roupas sujas são objetos que precisam permanecer próximos ao trocador, evitando que a pessoa tenha que se locomover para jogar fora a fralda ou colocar alguma peça para lavar.

Armário e cômoda

Roupas, sapatos e objetos espalhados pelo cômodo poluem o ambiente, tornando-o desarrumado e claustrofóbico. Por isso, móveis como armários e cômodas são essenciais para qualquer quarto, principalmente de bebês.

Em um primeiro momento, é possível que não haja tantos itens de roupa para armazenar, entretanto, a tendência é que isso mude com o tempo, levando em conta o crescimento acelerado das crianças. Nesse caso, o armário pode funcionar para guardar tanto blusas, vestidos, calças, quanto brinquedos, panos e até mesmo estoque de fraldas.

É indicado optar por móveis com divisões estratégicas, que permitem que os itens sejam separados de acordo com categoria e frequência de uso.

Cortinas

Por fim, a iluminação é outro elemento que ganha destaque no quarto do bebê. Para além de abajures e luminárias, é também preciso pensar nas cortinas das janelas. A luz solar em excesso não só atrapalha os pais, como é um verdadeiro incômodo para os olhos do recém-nascido.

Outra função do produto é reduzir sons e ruídos externos, propiciando um ambiente ideal para uma noite mais tranquila. Além disso, o têxtil pode contar com funções específicas, como impedir a passagem de mosquitos e, ainda, controlar as correntes de ar no cômodo.

Na hora de escolher o modelo mais adequado para o quarto, vale levar em conta alguns aspectos, como o material utilizado. Tecidos hipoalergênicos e fáceis de higienizar são indicados, uma vez que há o acúmulo de poeira nas cortinas.

Por Rodolfo Milone